Encarrapitado no topo da montanha

Os observatórios astronómicos do ESO no Chile são zonas de intensa atividade — ou oásis! — na paisagem, de outro modo, inóspita e árida do deserto do Atacama. Estes locais hostis e de difícil acesso podem à partida parecer uma escolha estranha para construção, mas o facto é que o Atacama é um dos melhores locais do mundo para a astronomia. Na realidade, não há poluição luminosa e não existe praticamente nenhuma camada de nuvens nesta região. Adicionalmente, trata-se do lugar não-polar mais seco do planeta, registando menos de 2 cm de precipitação por ano!

O Chile tem acolhido os telescópios do ESO desde os anos 1960, em observatórios localizados em La Silla, no Paranal e no Planalto do Chajnantor. Esta imagem mostra o telescópio VISTA (Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy), situado no Observatório do Paranal. 

Encarrapitado no topo da montanha adjacente ao Cerro Paranal, local onde está instalado o Very Large Telescope (VLT), o VISTA é o maior telescópio do mundo concebido para mapear o céu no infravermelho próximo (para lá da radiação que pode ser vista pelo olho humano). As vistas deslumbrantes do cosmos — incluindo a banda notável da nossa galáxia, a Via Láctea, que se estende ao longo da parte superior desta imagem — são mais do que suficientes para manter ocupados tanto o VISTA como os outros telescópios do Paranal.

Créditos:

ESO/B. Tafreshi (twanight.org)

Sobre a imagem

Id:potw1946a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:18 de Novembro de 2019 às 06:00
Tamanho:8359 x 8359 px

Sobre o objeto

Nome:Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy
Tipo:Unspecified : Sky Phenomenon : Night Sky : Milky Way
Unspecified : Technology : Observatory : Telescope

Formatos de imagens

JPEG grande
18,9 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
299,5 KB
1280x1024
497,0 KB
1600x1200
727,6 KB
1920x1200
871,7 KB
2048x1536
1,2 MB

 

Veja também