Beleza a 22º

Os telescópios do Observatório de La Silla do ESO no Chile têm por missão observar e estudar o vasto Universo — no entanto, há também imensos fenómenos naturais interessantes muito mais perto de casa. Um exemplo é este halo angelical de 22º. Esta fotografia foi tirada no remoto deserto do Atacama a altitude elevada, mas tal visão pode ser observada durante todo o ano em todas das partes do mundo.

Estes halos formam-se quando a luz do Sol ou da Lua atravessa nuvens do tipo cirrus situadas na alta atmosfera terrestre. Os minúsculos cristais de gelo que compõem estas nuvens atuam como prismas em miniatura, mudando a direção da luz que atravessa as nuvens (num fenómeno chamado refracção). Os raios luminosos tendem a "agrupar-se" no ângulo que representa o menor desvio do seu percurso original. Para a forma particular de cristal de gelo que se encontra no seio destas nuvens, o ângulo de desvio mínimo ocorre por volta de 22º, que é a razão pela qual vemos este halo de luz concentrada a uma distância correspondente a 22º da Lua.

O telescópio de 3,6 metros  do ESO dá-nos um primeiro plano muito adequado a esta cena angelical — é neste telescópio que está instalado o instrumento HARPS (High Accuracy Radial velocity Planet Searcher). O HARPS foi um dos dois instrumentos do ESO que, em 2016, detectou o planeta com massa comparável à da Terra Proxima b, o qual orbita a estrela mais próxima do Sol que conhecemos.

Créditos:

ESO/B. Tafreshi

Sobre a imagem

Id:potw1945a
Língua:pt
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:11 de Novembro de 2019 às 06:00
Tamanho:15475 x 7440 px

Sobre o objeto

Nome:La Silla
Tipo:Unspecified : Sky Phenomenon : Light Phenomenon : Halo : Circle
Unspecified : Technology : Observatory : Telescope

Formatos de imagens

JPEG grande
20,2 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
153,9 KB
1280x1024
249,2 KB
1600x1200
359,4 KB
1920x1200
427,0 KB
2048x1536
594,0 KB