Checando Einstein

Este ano, estamos celebrando o 100º aniversário da expedição britânica ao Eclipse Solar de 1919. Este filme de 4 minutos explora as observações da expedição da deflexão gravitacional da luz perto do Sol e sua importância como o primeiro teste bem-sucedido da teoria geral de Einstein de relatividade - afinal, foi isso que catapultou Einstein para a fama mundial! O filme inclui simulações totalmente relativísticas feitas sob medida da propagação da luz nas proximidades de um buraco negro.

A Teoria Geral da Relatividade de Albert Einstein, conecta tempo, espaço e gravidade.

A gravidade se torna um aspecto da Geometria, a massa como de uma estrela, destorce essa Geometria. O tempo corre diferente, e o espaço estica e se deforma.

A luz que viaja nesse espaço tempo distorcido, não pode mais viajar linearmente. Raios de luz são curvados conforme a luz é atraída pela gravidade do centro de massa. Se você puder traçar a curva da trajetória da luz, você pode determinar a maneira que o espaço e o tempo são dstorcidos. 

Retire a massa, e os raios de luz se tornaram linhas retas. 

A luz das estrelas passam pelo Sol antes de alcançar a terra, vão seguir uma pequena curva em sua trajetória, infelizmente o Sol é muito mais brilhante e não permite que enxerguemos a luz dessas outras estrelas, a não ser que a Lua bloqueie a Luz no Sol. Quando a sombra da Lua está em um lugar da Terra, há um Eclipse Solar. 

Um Eclipse como este no dia 29 de maio de 1919 foi visto por Sir Brown no Brasil e na Ilha do Príncipe na África. Em ambos os locais, astronômos estavam esperando, eles faziam parte de uma expedição de uma organização Britânica que vizava testar a Teoria de Einstein.

A luz foi defletida assim como Einstein havia predito, com telescópiops portáveis protegidos por cabanas de lona eles esperaram pelo momento de ocultação total.

A quente corona do Sol se tornou visível e as Estrelas que eles estavam esperando. Eles tiraram fotografias e compararam com imagens que eles haviam tirado meses anteriores. Nas fotografias do Eclipse, as estrelas foram sistematicamente deslocadas para fora. Aqui nós estamos exagerando o efeito para fazer com que fique visível. Porque na realidade o deslocamento só poderia ser determinado através da média de múltiplos medimentos extremamente precisos.

O que aconteceria se você pudesse ver o efeito não através do Sol, mas através de um Buraco Negro? Neste caso, a distorção seria muito maior.

Isso é o que um Buraco Negro se pareceria se estivesse entre nós e a Via Láctea. Como você pode ver partes da luz da Via Láctea viajou ao redor do Buraco Negro e agora está nos atingindo pelo lado contrário, uma imagem fantasma. 

Aqui está como um Buraco Negro se parece, isso foi observado pela expedição em 1919, com a Hyades e Plêiades aglomerados de Estrelas, o efeito dificilmente não seria observado, até mesmo sem medimentos acurados.

Crédito:

Haus der Astronomie

Sobre o Vídeo

Id:checking_up_on_einstein_domemaster_4k
Idioma:pt-br
Data de divulgação:17 de Maio de 2019 às 13:43
Duração:04 m 08 s
Frame rate:30 fps

Sobre o objeto

Tipo:Unspecified : Sky Phenomenon : Eclipse

Fulldome


Fulldome Preview


Script

English
14,3 KB

Broadcast Audio


Veja também