Estrada solitária

Fazendo lembrar um rio de luz fluindo ao longo da paisagem árida e deserta do norte do Chile, a estrada que leva ao Observatório do Paranal do ESO é uma corda de salvação da infraestrutura. Situado num dos lugares mais remotos do planeta para poder se beneficiar da extremamente baixa poluição luminosa aí existente, o observatório só pode ser acessado por esta estrada, que traça o seu percurso solitário através do terreno calmo e inóspito do deserto do Atacama.

No topo da montanha distante, chamada Cerro Paranal, podemos ver as formas minúsculas do VLT Survey Telescope e dos quatro Telescópios Principais que compõem o Very Large Telescope do ESO. Apesar de parecerem pequenos nesta Fotografia da Semana, estes telescópios são na realidade verdadeiros gigantes — cada espelho primário tem mais de 8 metros de diâmetro!

Esta fotografia foi tirada pelo Embaixador Fotográfico do ESO Yuri Beletsky, a partir da uma posição estratégica em outra das infraestruturas do ESO, o telescópio VISTA, situado no pico adjacente ao Cerro Paranal.

Crédito:

ESO/Y. Beletsky

Sobre a imagem

Id:potw2048a
Idioma:pt-br
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:30 de Novembro de 2020 às 06:00
Tamanho:4280 x 4906 px

Sobre o objeto

Nome:Cerro Paranal, Very Large Telescope
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory

Formatos de imagens

JPEG grande
6,9 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
258,0 KB
1280x1024
429,6 KB
1600x1200
617,7 KB
1920x1200
713,0 KB
2048x1536
990,5 KB