Um observador aposentado

No alto da periferia do deserto chileno de Atacama, um meteoro cruza o céu por cima do Observatório de La Silla do ESO, resplandecendo ao longo da faixa da Via Láctea salpicada de estrelas e poeira. Este evento pitoresco tem um observador estático e silencioso, que pode ser visto do lado esquerdo da imagem: o SEST (Swedish-ESO Submillimetre Telescope).

O SEST foi construído em 1987 em nome do ESO e do Conselho de Pesquisa de Ciências Naturais da Suécia, tendo sido desativado em 2003. Durante 16 anos, o telescópio observou um dos céus mais escuros e límpidos do planeta. No momento da sua construção, o SEST de 15 metros de diâmetro era o maior telescópio no hemisfério sul projetado para a astronomia submilimétrica. 

Enquanto esteve ativo, o SEST foi usado para uma ampla gama de pesquisas, incluindo a observação do centro da Via Láctea e o estudo de duas galáxias satélites da nossa, as Nuvens de Magalhães. Em 1995, as observações obtidas com o SEST mostraram que a Nebulosa do Bumerangue — uma nuvem de gás formada por uma estrela moribunda na constelação do Centauro — era o local mais frio conhecido no Universo, com apenas um grau acima do zero absoluto.

Crédito:

ESO/ B. Tafreshi (twanight.org)

Sobre a imagem

Id:potw1947a
Idioma:pt-br
Tipo:Fotográfico
Data de divulgação:25 de Novembro de 2019 às 06:00
Tamanho:6144 x 4096 px

Sobre o objeto

Nome:Swedish–ESO Submillimetre Telescope
Tipo:Unspecified : Technology : Observatory : Telescope

Formatos de imagens

JPEG grande
4,9 MB

Zoom


Papéis de parede

1024x768
274,8 KB
1280x1024
432,2 KB
1600x1200
600,3 KB
1920x1200
697,1 KB
2048x1536
914,2 KB

 

Veja também