eso1102pt-br — Nota de imprensa institucional

Tesouros Escondidos do ESO Revelados

12 de Janeiro de 2011

A competição de astrofotografia "Tesouros Escondidos do ESO 2010" atraiu quase 100 participações, e o ESO orgulha-se em apresentar os vencedores. Tesouros Escondidos deu a oportunidade aos astrônomos amadores de procurarem jóias cósmicas escondidas nos vastos arquivos de dados astronômicos do ESO. O astrônomo amador russo Igor Chekalin ganhou o primeiro prêmio deste difícil mas recompensador desafio - uma viagem dos sonhos ao Very Large Telescope do ESO no Cerro Paranal, Chile.

As fotografias do Universo publicadas nas notas de imprensa do ESO são impressionantes. No entanto, muitas horas de trabalho minucioso são necessárias para transformar os dados brutos, captados pelos telescópios em escalas de cinza, nas imagens coloridas, corrigidas de distorções e assinaturas indesejáveis do instrumento, e trabalhadas de modo a fazerem surgir os detalhes contidos nos dados astronômicos. O ESO tem uma equipe de pessoas que fazem processamento de imagem profissional, mas para a competição Tesouros Escondidos do ESO 2010, os peritos decidiram dar a entusiastas da astronomia e da fotografia a oportunidade de mostrar ao mundo o que poderiam fazer com as enormes quantidades de dados contidas nos arquivos do ESO.

Os entusiastas que responderam a este desafio submeteram um total de quase 100 propostas - ultrapassando largamente as expectativas iniciais, dada a dificuldade da competição. “Ficamos completamente espantados com a quantidade e a qualidade das imagens que foram submetidas. Este não era um desafio para os fracos de espírito, requerendo tanto um conhecimento avançado de processamento de dados como um espírito artístico. Estamos muito contentes por ter descoberto tantas pessoas tão talentosas,” diz Lars Lindberg Christensen, Diretor do Departamento de Educação e Divulgação Científica do ESO.

Trabalhando no meio de muitos terabytes de dados astronômicos profissionais, os concorrentes tinham que identificar uma série de imagens em escalas de cinza de um objeto celeste, o qual deveria revelar a beleza escondida do nosso Universo.

A possibilidade de ganhar um prêmio fantástico foi suficiente para entusiasmar os concorrentes; sendo o primeiro prêmio uma viagem ao Very Large Telescope do ESO no Cerro Paranal, Chile, com visitas guiadas e a oportunidade de participar de uma noite de observações. Os outros prêmios incluíam um iPod, livros e DVDs. Além disso, as imagens melhor classificadas serão divulgadas na internet e estarão visíveis no site www.eso.org como Fotos de Imprensa ou Fotografias da Semana, com créditos partilhados com os vencedores.

O júri avaliou os trabalhos baseado na qualidade do processamento de imagem, na originalidade da imagem e no sentido estético geral. Uma vez que várias das imagens melhor classificadas foram submetidas pelas mesmas pessoas, o júri decidiu entregar prêmios aos dez participantes mais talentosos, dando assim a oportunidade de premiar mais pessoas, recompensando o seu trabalho e talento.

Os dez vencedores da competição são:

  1. Primeiro prêmio, uma viagem ao Paranal + brindes ESO: Igor Chekalin (Rússia).
  2. Segundo prêmio, um iPod Touch + brindes ESO: Sergey Stepanenko (Ucrânia).
  3. Terceiro prêmio, um cubo de vidro com uma maquete do VLT gravada a laser  + brindes ESO: Andy Strappazzon (Bélgica).
  4. Quarto a décimo prêmios, Livro “Eyes on the Skies” + DVD + brindes ESO: Joseph (Joe) DePasquale (USA), Manuel (Manu) Mejias (Argentina), Alberto Milani (Itália), Joshua (Josh) Barrington (USA), Oleg Maliy (Ucrânia), Adam Kiil (Reino Unido), Javier Fuentes (Chile).


Os dez vencedores submeteram as vinte imagens melhor classificadas:

  1. M78 por Igor Chekalin.
  2. NGC3169, NGC3166 e SN 2003cg por Igor Chekalin.
  3. NGC6729 por Sergey Stepanenko.
  4. A Lua  por Andy Strappazzon.
  5. NGC 3621 por Joseph (Joe) DePasquale.
  6. NGC 371 por Manuel (Manu) Mejias.
  7. Poeira na Nebulosa de Orion (telescópio de 2.2 m do ESO) por Igor Chekalin.
  8. NGC1850 EMMI por Sergey Stepanenko.
  9. Abell 1060 por Manuel (Manu) Mejias.
  10. Proeminências Celestes NGC3582 por Joseph DePasquale.
  11. Aglomerado Globular NGC288 por Alberto Milani.
  12. Galáxias Antena por Alberto Milani.
  13. Objeto de Sakurai por Joshua (Josh) Barrington.
  14. NGC 1929, Super-Bolha N44 por Manuel (Manu) Mejias.
  15. NGC 3521 por Oleg Maliy.
  16. NGC 6744 por Andy Strappazzon.
  17. NGC 2217 por Oleg Maliy.
  18. VIMOS.2008-01-31T07_16_47j por Adam Kiil.
  19. NGC 2647 - number 2 por Josh Barrington.
  20. Haffner 18 e 19 por Javier Fuentes.


Igor Chekalin, vencedor da viagem ao Cerro Paranal, comenta: “Foi uma experiência fantástica e um prazer trabalhar com dados verdadeiramente excepcionais. Como astrofotógrafo amador  que sou, este foi o processamento de imagem e pós-processamento mais difícil que já fiz. A minha participação na competição “Tesouros Escondidos”  proporcionou-me imensos desafios, desde a instalação de novo software ao estudo de técnicas, passando inclusive por sistemas operacionais que me eram totalmente desconhecidos anteriormente.”

O sucesso da competição Tesouros Escondidos 2010 do ESO e o entusiasmo dos talentosos participantes tornaram fácil a decisão de repetir a competição. Mantenham-se atentos e visitem www.eso.org  para terem notícias sobre os Tesouros Escondidos do ESO 2011.

Mais Informações

O ESO, o Observatório Europeu do Sul, é a mais importante organização europeia intergovernamental para a pesquisa em astronomia e é o observatório astronômico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronômicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrônomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação nas pesquisas astronômicas. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astroôómico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projeto astronômico que existe atualmente. O ESO está planejando o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio da classe dos 40 metros que observará na banda do visível e próximo infravermelho. O E-ELT será “o maior olho no céu do mundo”.

Links

Contatos

Gustavo Rojas
Universidade Federal de São Carlos
São Carlos - SP, Brasil
Tel.: 551633519795
e-mail: grojas@ufscar.br

Olivier R. Hainaut
ESO, Astronomer and Science Liaison for the Education and Public Outreach Department
Garching bei München, Germany
Tel.: +49 89 3200 6752
Cel.: +49 151 2262 0554
e-mail: ohainaut@eso.org

Oana Sandu
ESO, Community Coordinator for the Education and Public Outreach Department
Garching bei München, Germany
Cel.: +49 176 943 942 20
e-mail: osandu@eso.org

Este texto é a tradução da Nota de Imprensa do ESO eso1102, cortesia do ESON, uma rede de pessoas nos Países Membros do ESO, que servem como pontos de contato local para a imprensa. O representante brasileiro é Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos. A nota de imprensa foi traduzida por Margarida Serote (Portugal) e adaptada para o português brasileiro por Gustavo Rojas.

Sobre a nota de imprensa

No. da notícia:eso1102pt-br

Imagens

The winners of ESO’s Hidden Treasures 2010 competition
The winners of ESO’s Hidden Treasures 2010 competition
somente em inglês
Astronomy enthusiast Igor Chekalin from Russia
Astronomy enthusiast Igor Chekalin from Russia
somente em inglês

Veja também