Notas de Imprensa

Assine as Notícias do ESO
eso1128pt — Nota de Imprensa Científica
VISTA encontra 96 enxames estelares escondidos por trás de poeira
3 de Agosto de 2011: Com dados obtidos pelo telescópio de rastreio no infravermelho VISTA, instalado no Observatório do Paranal do ESO, uma equipa internacional de astrónomos descobriu 96 novos enxames estelares abertos escondidos pela poeira da Via Láctea. Estes objetos pequenos e ténues permaneceram invisíveis em rastreios anteriores, mas não conseguiram escapar aos detetores infravermelhos muito sensíveis do maior telescópio de rastreio do mundo, que consegue espreitar através da poeira. Esta é a primeira vez que tantos enxames pequenos e pouco brilhantes foram encontrados de uma só vez.
eso1127pt — Nota de Imprensa Institucional
Antena ALMA europeia eleva para 16 o número total de antenas no Chajnantor
28 de Julho de 2011: A primeira antena europeia para o Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) foi transportada para o Local de Operações da Rede (AOS, sigla do inglês Array Operations Site) do observatório no dia 27 de Julho de 2011. A antena de 12 metros de diâmetro chegou ao planalto do Chajnantor, situado 5000 metros acima do nível do mar. Neste local junta-se a antenas de outros parceiros internacionais do ALMA, elevando para 16 o número total de antenas colocadas já no AOS.
eso1126pt — Foto de Imprensa
VST Observa o Tripleto de Leão - e Mais Além
27 de Julho de 2011: Uma imagem enorme do VLT Survey Telescope (VST) e da sua câmara OmegaCAM, instalados no Observatório do Paranal do ESO, mostra três galáxias brilhantes na constelação do Leão. São, no entanto, os objetos ténues que aparecem no plano de fundo, em vez das galáxias em primeiro plano, que captam a atenção dum astrónomo. A imagem extremamente nítida destes objetos pouco luminosos obtida pelo VST atesta o poder do telescópio e da OmegaCAM para mapear o Universo distante.
eso1125pt — Foto de Imprensa
Uma Superbolha Cósmica
20 de Julho de 2011: O Very Large Telescope do ESO capturou esta imagem extraordinária da nebulosa que envolve o enxame estelar NGC 1929 situado na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia satélite da nossa própria Via Láctea. Esta maternidade estelar é dominada por o que os astrónomos chamam uma superbolha. Este objecto está a ser esculpido tanto pelos ventos ejetados pelas estrelas brilhantes jovens como pelas ondas de choque originárias das explosões de supernovas.
eso1124pt — Nota de Imprensa Científica
O que Torna Activo um Buraco Negro de Massa Extremamente Elevada?
13 de Julho de 2011: Um novo estudo, que combina dados do Very Large Telescope do ESO e do observatório espacial de raios X XMM-Newton da ESA, revelou algo surpreendente. A maior parte dos buracos negros gigantes que se encontram no centro das galáxias desde os últimos 11 mil milhões de anos não se tornaram activos devido a fusões de galáxias, como se pensava até agora.
eso1123pt — Nota de Imprensa Científica
Peróxido de Hidrogénio Encontrado no Espaço
6 de Julho de 2011: Foram encontradas no espaço pela primeira vez moléculas de peróxido de hidrogénio (que em solução aquosa é a nossa bem conhecida água oxigenada). Esta descoberta fornece-nos pistas sobre a ligação química entre duas moléculas indispensáveis à vida: água e oxigénio. O peróxido de hidrogénio é um elemento chave na química da água e do azono na atmosfera do nosso planeta. É geralmente utilizado como desinfetante ou para aclarar cabelo. Esta molécula foi agora descoberta no espaço por astrónomos que utilizaram o telescópio APEX, situado no Chile e operado pelo ESO.
eso1122pt — Nota de Imprensa Científica
Encontrado o Quasar Mais Distante
29 de Junho de 2011: Uma equipa de astrónomos europeus utilizou o Very Large Telescope do ESO juntamente com outros telescópios para descobrir e estudar o quasar mais distante encontrado até à data. Este farol brilhante, cujo motor é um buraco negro com uma massa dois milhares de milhões de vezes maior que a do Sol, é sem dúvida o objeto mais brilhante descoberto no Universo primitivo. Os resultados deste estudo sairão a 30 de Junho na revista Nature.
eso1121pt — Foto de Imprensa
As Chamas de Betelgeuse
23 de Junho de 2011: Utilizando o instrumento VISIR montado no Very Large Telescope do ESO (VLT), os astrónomos obtiveram imagens, com o maior detalhe até agora conseguido, de uma nebulosa complexa e brilhante em torno da estrela supergigante Betelgeuse. Esta estrutura que se assemelha as chamas emitidas pela estrela forma-se à medida que o objeto liberta material para o espaço.
eso1120pt — Nota de Imprensa Científica
Investigando uma Colisão Galáctica
22 de Junho de 2011: Uma equipa de cientistas estudou o enxame de galáxias Abell 2744, o chamado enxame de Pandora, e reconstruiu a história violenta e complexa deste enxame utilizando telescópios no espaço e no solo, incluindo o Very Large Telescope do ESO e o Telescópio Espacial Hubble. O enxame Abell 2744 parece ser o resultado de uma junção simultânea de, pelo menos, quatro enxames de galáxias separados. Desta complexa colisão resultaram efeitos estranhos, que nunca antes tinham sido observados em simultâneo.
eso1119pt — Nota de Imprensa Institucional
As Primeiras Imagens do VLT Survey Telescope
8 de Junho de 2011: O VLT Survey Telescope (VST), recentemente instalado no Observatório do Paranal do ESO, divulgou as suas primeiras imagens do céu austral. O VST é um telescópio de 2,6 metros de última geração, que dispõe de uma enorme câmara de 268 megapixels, a OmegaCAM. Esta câmara foi concebida para mapear o céu de modo rápido e com uma excelente qualidade de imagem. É um telescópio que trabalha no visível e que complementa perfeitamente o VISTA, o telescópio de rastreio no infravermelho do ESO. As novas imagens da Nebulosa Ómega e do enxame globular Omega Centauri demonstram bem o poder deste novo instrumento.
eso1118pt — Foto de Imprensa
Um Postal vindo do Espaço Extragaláctico?
1 de Junho de 2011: Os astrónomos do ESO utilizaram o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros para obter esta imagem de NGC 6744. Esta impressionante galáxia espiral situa-se a cerca de 30 milhões de anos-luz de distância na constelação austral do Pavão. A imagem quase que podia ser um postal da nossa Via Láctea enviado por um amigo extragaláctico, uma vez que esta galáxia é muito semelhante à nossa.
eso1117pt — Nota de Imprensa Científica
O VLT do ESO Descobre uma Super-Estrela Brilhante mas Solitária
25 de Maio de 2011: Uma estrela extraordinariamente brilhante mas isolada foi encontrada numa galáxia próxima - a estrela é três milhões de vezes mais brilhante que o Sol. Todas as “super-estrelas” anteriormente descobertas foram encontradas em enxames estelares, mas este farol brilha com um esplendor solitário. A origem desta estrela é misteriosa: será que se formou isolada ou foi ejetada de um enxame? Qualquer destas hipóteses põe à prova o conhecimento dos astrónomos sobre a formação estelar.
eso1116pt — Nota de Imprensa Científica
Um Olhar Profundo sobre uma Tempestade Enorme em Saturno
19 de Maio de 2011: O Very Large Telescope (VLT) do ESO juntou-se à sonda espacial Cassini da NASA para estudar uma tempestade rara na atmosfera do planeta Saturno, com um detalhe nunca antes alcançado. Os resultados deste estudo, efectuado por uma equipa internacional de astrónomos, aparecem publicados esta semana na revista Science.
eso1115pt — Foto de Imprensa
Duas Imagens de uma Galáxia Deformada
4 de Maio de 2011: A galáxia do Gancho de Carne ou NGC 2442 tem uma forma verdadeiramente distorcida. Um braço em espiral encontra-se muito dobrado sobre si mesmo e alberga uma supernova recente, enquanto que o outro, pontilhado de formação estelar recente, se estende muito para lá do núcleo. O telescópio MPG/ESO de 2.2 metros e o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA captaram duas imagens muito contrastantes desta galáxia espiral assimétrica.
eso1114pt — Foto de Imprensa
Um Par Galáctico Perturbado
20 de Abril de 2011: As galáxias deste par cósmico, imagem obtida com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros no Observatório de La Silla, Chile, apresentam algumas características interessantes, demonstrando que cada membro do par está suficientemente perto para sofrer distorção devido à influência gravitacional do outro. O puxão gravitacional originou uma forma em espiral distorcida numa das galáxias, NGC 3169 e fragmentou as camadas de poeira da sua companheira NGC 3166. Entretanto, uma terceira galáxia mais pequena, situada em baixo à direita, NGC 3165, está na fila da frente da influência gravitacional das suas vizinhas maiores.
eso1113pt — Foto de Imprensa
Estrelas Moribundas Dão Origem a Fogo de Artifício Celeste
13 de Abril de 2011: Esta imagem da nebulosa NGC 3582 obtida pelo instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros do ESO no Observatório de La Silla, Chile, mostra arcos de gás gigantes muito parecidos a proeminências solares. Pensa-se que estes arcos tenham sido ejetados por estrelas moribundas, formando-se nesta maternidade estelar ao mesmo tempo que estrelas jovens. As estrelas jovens muito energéticas emitem radiação ultravioleta intensa, que faz brilhar o gás da nebulosa, produzindo o espetáculo flamejante que aqui observamos.
eso1112pt — Nota de Imprensa Institucional
Presidente da República Checa visita o Observatório do Paranal do ESO
7 de Abril de 2011: No dia 6 de Abril de 2011, o observatório do Paranal do ESO teve a honra de receber a visita do Presidente da República Checa, Václav Klaus e da sua esposa Livia Klausová. O casal aproveitou a oportunidade para admirar o Cerro Armazones, futuro local do telescópio E-ELT em fase de planeamento.
eso1111pt — Foto de Imprensa
O Brilho Rosa Avermelhado da Formação Estelar
30 de Março de 2011: A nuvem de cor rosa avermelhada que se vê nesta nova imagem do Very Large Telescope do ESO é uma região de hidrogénio brilhante que circunda o enxame estelar NGC 371. Esta maternidade estelar situa-se na nossa galáxia vizinha, a Pequena Nuvem de Magalhães.
eso1110pt — Nota de Imprensa Científica
Um Par de Anãs Castanhas Muito Frias
23 de Março de 2011: Observações obtidas com o Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul em conjunto com mais dois telescópios mostram que existe um novo candidato para a estrela mais fria conhecida: uma anã castanha num sistema duplo com aproximadamente a mesma temperatura que uma chávena de chá acabado de fazer - quente em termos humanos, mas extraordinariamente frio para a superfície de uma estrela. Este objeto é suficientemente frio para começar a atravessar a linha ténue que separa as estrelas pequenas frias dos planetas grandes quentes.
eso1109pt — Foto de Imprensa
O Drama do Nascimento Estelar
16 de Março de 2011: Uma nova imagem obtida com o Very Large Telescope do ESO permite-nos ver de perto os efeitos dramáticos que as estrelas recém nascidas têm no gás e poeira a partir dos quais se formam. Embora as estrelas propriamente ditas não sejam visíveis, o material que ejetam colide com as nuvens de gás e poeira circundantes criando uma paisagem surrealista de arcos, manchas e riscas brilhantes.
Mostrar 161 até 180 de 265