eso1043pt — Nota de Imprensa Institucional

EVALSO: Nova Linha de Dados de Alta Velocidade Liga Observatórios Chilenos

4 de Novembro de 2010

Estendendo-se por 100 quilómetros através do rigoroso Deserto do Atacama no Chile, um cabo de dados agora inaugurado está a criar novas oportunidades no Observatório do Paranal do ESO e no Observatório Cerro Armazones. A ligação destas infraestruturas ao principal banco de dados científicos da América Latina completa o último troço da linha de alta velocidade entre estes observatórios e a Europa.

Este novo cabo faz parte do projecto EVALSO (acrónimo do inglês Enabling Virtual Access to Latin American Southern Observatories) [1], um programa co-financiado pelo 7º Programa Quadro da Comissão Europeia [2] e coordenado pela Universidade de Trieste, que inclui o ESO, o Observatório Cerro Armazones (OCA, parte da Ruhr-Universität Bochum), a rede académica chilena REUNA e outras organizações. Para além do próprio cabo, o projecto EVALSO envolve igualmente a compra de capacidade em infraestruturas já existentes no sentido de completar a ligação de banda larga desde a região do Paranal até à sede do ESO perto de Munique, na Alemanha.

O coordenador do projecto Fernando Liello disse: “Trata-se de uma excelente colaboração entre os membros do consórcio. Para além de proporcionar uma ligação rápida entre os dois observatórios, o projecto trará largos benefícios às comunidades académicas tanto na Europa como na  América Latina.”

Os locais do Paranal e Armazones são ideais para a observação astronómica devido à elevada altitude, céus claros e grande afastamento de poluição luminosa. Mas isso significa também que estão longe de qualquer infraestrutura de comunicação existente, o que até agora os tornava dependentes de uma ligação por microondas para enviar dados científicos de volta à estação base perto de Antofagasta.

Os telescópios que se encontram no observatório do Paranal do ESO produzem mais de 100 gigabytes de dados por noite, o que equivale a mais de 20 DVDs, mesmo depois dos dados comprimidos. Embora a linha existente disponha de velocidade suficiente para transmitir os dados produzidos pela presente geração de instrumentos do Very Large Telescope (VLT), a ligação não tem largura de banda suficiente para transmitir os dados obtidos pelo telescópio VISTA (acrónimo do inglês Visible and Infrared Survey Telescope for Astronomy, ver eso0949) ou pela nova geração de instrumentos do VLT que estará operacional nos próximos anos.

O que significa que para muitos dos dados que vêm do Paranal, a forma mais prática de os enviar para a sede do ESO consiste em colocá-los em discos duros e enviar seguidamente esses discos por correio aéreo. O que corresponde a uma espera de dias, ou mesmo semanas, antes de observações do VISTA estarem disponíveis para análise.

Mesmo com um racionamento cuidado e uma gestão sofisticada dos dados de modo a utilizar-se a ligação tão eficazmente quanto possível, a linha pode ficar saturada em alturas de ponta. Embora esta situação não cause actualmente problemas de maior, indica-nos que a respectiva linha está a atingir o seu limite.

O Director Geral do ESO Tim de Zeeuw disse: “O observatório do ESO no Paranal está a aumentar, com novos telescópios e instrumentos a ficarem disponíveis. Os nossos observatórios científicos de vanguarda precisam de estar equipados com infraestruturas de última geração.”

Em vez da ligação existente, que tem um limite máximo de 16 megabit/s (semelhante à ADSL banda larga de casa), o EVALSO fornecerá uma ligação muito mais rápida de 10 gigabit/s - uma velocidade suficientemente rápida para transferir um DVD com um filme completo numa questão de segundos [3].

Mario Campolargo, Director, Tecnologias Emergentes e Infraestruturas na Comissão Europeia, disse: “É estrategicamente importante que a comunidade de astrónomos da Europa tenha o melhor acesso possível aos observatórios do ESO: esta é uma das razões pela qual a União Europeia apoia o desenvolvimento de e-infraestruturas regionais para a ciência na América Latina e interliga-as com outras e-infraestruturas da União Europeia, tais como GÉANT [4].

O aumento drástico em largura de banda tornará possível a utilização dos dados do Paranal à distância e em tempo real de forma mais eficaz. Permitirá também uma mais fácil monitorização do desempenho do telescópio VISTA e um acesso mais rápido aos dados do VLT, aumentando a resposta do controlo e qualidade. E com a largura de banda aumentada, novas oportunidades surgirão, tais como os astrónomos e técnicos poderem participar em reuniões por vídeo-conferência de alta definição, sem terem que viajar até ao Chile. Além do mais, e olhando para o futuro, a nova ligação terá largura de banda suficiente para acompanhar o volume de informação em constante crescimento vinda do Paranal e Armazones nos próximos anos, à medida que novos instrumentos, consumidores de banda larga,  forem ficando operacionais.

Ter acesso remoto imediato a dados situados num local distante não é apenas uma maneira de poupar dinheiro e tornar o trabalho do observatório mais eficiente. Para o caso de fenómenos inesperados e imprevisíveis, tais como explosões de raios gama, muitas vezes não há tempo suficiente para os astrónomos se deslocarem até aos observatórios. Nestes casos, o projecto EVALSO dará aos especialistas a hipótese de trabalharem remotamente nestes acontecimentos quase como se estivessem efectivamente no observatório.

Notas

[1] O projecto EVALSO é financiado no âmbito do 7º Programa Quadro da Comissão Europeia e é uma parceria entre Universita degli Studi di Trieste (Itália), ESO, Ruhr-Universität Bochum (Alemanha), Consortium GARR (Gestione Ampliamento Rete Ricerca) (Itália), Universiteit Leiden (Holanda), Istituto Nazionale di Astrofisica (Itália), Queen Mary, University of London (Reino Unido), Cooperacion LatinoAmericana de Redes Avanzasas (CLARA) (Uruguai) e Red Universitaria Nacional (REUNA) (Chile).

[2] O 7º Programa Quadro da Comissão Europeia para a Investigação e Desenvolvimento Tecnológico é a principal ferramenta de que a União Europeia dispõe para financiar a investigação. O seu objectivo é tornar, ou manter, a União Europeia líder mundial nas áreas definidas como prioritárias em ciência e tecnologia.

[3] O novo cabo tem uma largura de banda de 10 gigabit/s. Toda a infraestrutura da rede entre o Paranal e a sede do ESO na Alemanha é teoricamente capaz de transferir dados a uma velocidade máxima de 1 gigabit/s.

[4] GÉANT é uma rede de dados pan-europeia dedicada à comunidade da investigação e educação, que liga 40 milhões de utilizadores em 40 países distintos.

Informações adicionais

O ESO, o Observatório Europeu do Sul, é a mais importante organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e é o observatório astronómico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 14 países: Áustria, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Itália, Holanda, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrónomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronómico, no visível, mais avançado do mundo e o VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projecto astronómico que existe actualmente. O ESO encontra-se a planear o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio de 42 metros que observará na banda do visível e próximo infravermelho. O E-ELT será “o maior olho no céu do mundo”.

Links

Projecto EVALSO: http://www.evalso.eu
Inauguração do projecto EVALSO: http://www.evalso.eu/evalso/2010-nov04-launching-event/

Contactos

João Fernandes
Departamento de Matemática, Universidade de Coimbra
3001 - 454 Coimbra, Portugal
Telm.: 914002960
Email: eson.portugal@gmail.com

Gonzalo Argandoña
ESO education and Public Outreach Department
Santiago, Chile
Tel.: +56-2-463-3258
Telm.: +56-9-9-829-4202
Email: gargando@eso.org

Giorgio Filippi
ESO Telescopes Division
Garching bei München, Germany
Tel.: +49-89-3200-6325
Email: gfilippi@eso.org

Lars Lindberg Christensen
ESO education and Public Outreach Department
Garching bei München, Germany
Tel.: +49-89-3200-6761
Email: lars@eso.org

Este texto é a tradução da Nota de Imprensa do ESO eso1043, cortesia do ESON, uma rede de pessoas nos Países Membros do ESO, que servem como pontos de contacto local com os meios de comunicação social, em ligação com os desenvolvimentos do ESO. A representante do nodo português é Margarida Serote.

Sobre a Nota de Imprensa

Nº da Notícia:eso1043pt

Imagens

The EVALSO inauguration
The EVALSO inauguration
apenas em inglês
Construction work on EVALSO
Construction work on EVALSO
apenas em inglês

Vídeos

ESOcast 23: A telescope's wire to the world
ESOcast 23: A telescope's wire to the world
apenas em inglês

Veja também