Escolha a sua língua:

ann13022-pt — Anúncio

Mapa enorme do Universo longínquo já vai a meio caminho

Rastreio VLT mapeia posições de 55 000 galáxias

12 de Março de 2013

O maior projeto alguma vez levado a cabo para mapear o Universo a três dimensões com o auxílio dos telescópios do ESO, chegou a meio caminho. Uma equipa internacional de astrónomos utilizou o instrumento VIMOS montado no Very Large Telescope do ESO para medir as distâncias a 55 000 galáxias [1], no âmbito do rastreio VIPERS [2]. Este resultado permitiu já criar uma imagem a três dimensões da distribuição das galáxias no Universo jovem e revela com grande detalhe a complexa teia da estrutura a larga escala do Universo.

Ao estudar a teia cósmica, os astrónomos podem testar teorias de formação e evolução do Universo e procurar propriedades da misteriosa energia escura, que está a fazer com que a expansão do Universo se acelere. Ao mapear como é que a estrutura a larga escala cresceu com o tempo, os astrónomos podem também determinar se a teoria da relatividade geral de Einstein se verifica de modo preciso ou se será necessário ser revista.

VIPERS é o rastreio mais detalhado feito até hoje de galáxias que estão a ser observadas na altura em que, segundo os astrónomos, o Universo passou a ser dominado por energia escura, como é hoje o caso. Embora o rastreio não esteja ainda completo, o VIPERS já forneceu resultados científicos importantes, incluindo a primeira estimativa da taxa de crescimento da estrutura a larga escala e o melhor census de sempre do número médio de galáxias com elevada massa, durante esse período da história do Universo.

Esta semana e para assinalar este marco, a equipa está a submeter, a revistas da especialidade, diversos artigos científicos que descrevem o rastreio e os resultados iniciais. Os resultados do VIPERS são tornados públicos para que astrónomos no mundo inteiro os possam utilizar. O catálogo atual de distâncias às galáxias será divulgado em setembro deste ano.

Notas

[1] A luz emitida por cada galáxia é separada nas suas componentes de cor no interior do VIMOS. Subsequente análise cuidada permite depois aos astrónomos perceber quão rápido estas galáxias se estão a afastar de nós - o seu desvio para o vermelho que, por sua vez, nos dá a distância. Este valor combinado com a posição da galáxia no céu, dá-nos a sua localização no Universo.

[2] VIPERS é o acrónimo de VIMOS Public Extragalactic Redshift Survey (Rastreio público VIMOS de desvios para o vermelho extragalácticos). Informação adicional pode ser encontrada aqui.

Contactos

Luigi Guzzo
INAF – Osservatorio Astronomico di Brera
Merate, Italy
Tel.: +39 039 5971 025
Mobile: +39 266 773 9704
Email: luigi.guzzo@brera.inaf.it

Richard Hook
ESO, Public Information Officer
Garching bei München, Germany
Tel: +49 89 3200 6655
Cell: +49 151 1537 3591
Email: rhook@eso.org

Bookmark and Share

Sobre o anúncio

Id:ann13022

Imagens

Mapa das posições de milhares de galáxias no rastreio VIPERS
Mapa das posições de milhares de galáxias no rastreio VIPERS
Mapa das posições de milhares de galáxias no rastreio VIPERS
Mapa das posições de milhares de galáxias no rastreio VIPERS